14 ago.15

Cabelo para ficar na cabeça…

imagens-12

Muitas pessoas experimentam queda excessiva de cabelo em algum momento da vida. Em alguns casos a queda excessiva dos cabelos tem impacto significativo na aparência de homens e mulheres.
Normalmente perdemos de 100 a 200 fios por dia. Nossos fios não crescem todos na mesma fase, ao mesmo tempo. Por isso sempre temos alguns fios caindo.
Alopécia androgenética por exemplo, a famosa calvície, pode levar a perda total dos cabelos. E embora seja muito mais comum em homens, também pode afetar as mulheres. Apesar de ser um quadro de origem genética e hereditário, a existência de um ou mais casos na família não significa que necessariamente, se manifestará em todos os membros.
Muitas outras doenças mais raras também podem ser causa de queda, e tem tratamento quando diagnosticadas corretamente.
Além da queda excessiva, o cabelo também passa por mudanças ao longo da vida. Os fios reduzem o seu peso, diminuem sua espessura e densidade devido às mudanças hormonais e envelhecimento.
As tinturas e processos de alisamento, muito utilizados hoje em dia para mudanças de visual, danificam os fios, provocam a quebra e enfraquecimento desses fios, e consequentemente a queda.
Procure um médico quando você achar que está perdendo mais cabelo que o habitual. Pode ser que você esteja sofrendo de alguma carência vitamínica sim, coisa simples de tratar. Mas também pode ser que esse seja o primeiro sinal de uma doença de couro cabeludo, que pode levar à perda de áreas localizadas ou difusas. Ou até mesmo de uma doença sistêmica mais grave.
O dermatologista é o médico capacitado para diagnosticar e tratar as doenças do cabelo.

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Comentários

comentários

/clinicaleticiabortolini

/clinicaleticiabortolini

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Comentários

comentários