22 jan.15

Psoríase… você conhece?

O post de hoje é pra falar de doença.

Sim, porque doença é o nosso dia a dia como médicos, e a população precisa estar informada sobre alguns aspectos gerais para poder melhorar o nível de prevenção na saúde.

A Psoríase é uma doença inflamatória crônica, mediada por fatores imunes. E o principal, não é contagiosa. Muitas pessoas sofrem ainda preconceito porcausa de suas lesões aparentes. E muito além da aparência, algumas lesões dificultam o dia a dia, ou até mesmo impedem atividades simples (ex da doença em palmas e plantas dos pés). Isso tudo tem um impacto muito grande na qualidade de vida desses pacientes.

FolderFechamento2014.ai

Não bastasse isso, hoje já sabemos que ela é uma doença sistêmica. Mas que diabos é isso? A mancha não fica só na pele? Pois então... ela não é só uma mancha na pele. O seu mecanismo de ação imunológico atinge também as articulações, levando a uma forma de artrite grave, que pode evoluir com deformidades se não tratada. Sabemos também que esta associada a doenças cardiovasculares (novamente pelo mecanismo imunológico entre outros fatores ainda não exatamente confirmados) como hipertensão, aterosclerose, até infarto do miocárdio. Além disso obesidade, aumento de colesterol, diabetes, depressão, alcoolismo, ansiedade, entre outros.

Estudos recentes concluíram que no Brasil, cerca de metade dos pacientes tem a doença na forma moderada a grave (existe uma forma de classificar isso), isso significa comprometimento importante da qualidade de vida, inclusive na profissão. Mediante essa classificação e avaliação de questionários de qualidade de vida, o médico é capaz de definir mediante protocolos já descritos, qual será a melhor forma de tratamento, e individualizá-lo mediante as outras doenças que o paciente apresentar concomitante.

E uma coisa muito importante: tabagismo altera a evolução do tratamento. Então, fumar já predispõe a tantas coisas ruins, para quem tem psoríase é prioridade parar de fumar para melhorar.

Fique ligado! Procure seu médico para avaliar sua pele frequentemente. Quanto antes diagnosticarmos as doenças, melhor será o tratamento.

 

 

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Comentários

comentários

/clinicaleticiabortolini

/clinicaleticiabortolini

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Comentários

comentários