Vitamina D – Como repor em seu corpo e o que acontece com o nosso organismo?

Como no último post falamos sobre o sol e sobre como ele é responsável pela síntese de vitamina D no nosso organismo, hoje quero falar sobre a suplementação de vitamina D.

 

Muitos pacientes me perguntam se deveriam tomar sol para melhorar seus níveis baixos dessa vitamina. Mas não é bem por aí.

como-repor-vitamina-D

Nossa pele é o órgão responsável por sintetizar a maior parte da vitamina D que o corpo necessita.

Essa vitamina traz diversos benefícios ao organismo, dentre eles, manter as taxas de cálcio e fósforo no sangue.

Todos esses benefícios, auxiliam no combate à osteoporose, doenças cardiovasculares, entre outras.

Quais os problemas que podemos ter?

A radiação necessária para que essa síntese ocorra na pele, é a UVB e  já ouviram falar que essa radiação provoca mutações nas nossas células, que podem levar ao câncer de pele né.

Outro problema que também pode surgir é a aceleração do envelhecimento.

vitamina d

E para sintetizar a vitamina, precisamos pegar esse sol sem protetor solar.

E o pior é que com o passar dos anos nossa capacidade de síntese desse nutriente é reduzida, o que propicia o surgimento de algumas doenças e disfunções, resultado da falta dessa vitamina no organismo.

Como evitar?

Para evitar que possíveis problemas se agravem, é necessário encontrar maneiras de repor as taxas da vitamina D.

Tomar sol é, sem dúvidas, a forma mais prática de resolver isso.

Porém, quem sofre com melasma, por exemplo, pode solucionar um problema e agravar outro.

Pessoas muito brancas podem provocar aparecimento de câncer de pele.

Entre esses e outros casos, o indicado é fazer a suplementação de vitamina D, utilizando vitamínicos e uma alimentação equilibrada, sempre receitados por um especialista.

Converse com um dermatologista e saiba como manter as taxas de vitamina D no organismo em dia e com segurança.

 

vitamina d

Você que já é nosso cliente, já conhece todos esses procedimentos e como cuidamos para que seu organismo esteja sempre equilibrado.

Para que possa fazer um pré-agendamento, deixamos um formulário abaixo e assim que recebermos, iremos entrar em contato para verificar as datas e outros detalhes.

Te vejo em breve, com seu corpo equilibrado. 😉


Cuidado com Mãos e PésTerapia CapilarTratamentos CorporaisTratamentos Faciais

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Sol… Quais os problemas? Faz bem, ou faz mal à saúde?

Tenho muitas pacientes que detestam pegar sol, mas muitas adoram.

As que gostam dizem que o sol pra elas é vida!

E existem estudos que mostram que para algumas pessoas o sol realmente traz bem estar e melhora o humor.

Mostram também, que populações de países com baixa quantidade de claridade são mais propensas à depressão.

Mas nós não temos esse problema no Brasil porque temos muitas horas de sol por dia e alto índice de radiações vindas dele.

Então tudo vai depender dos horários e do tempo de exposição à radiação solar.

perigos-do-sol
Fonte: Revista Galileu

Como aproveitar o sol?

Durante o verão as atividades ao ar livre são mais frequentes, seja por quem mora em locais que tem inverno e querem aproveitar mais o calor ou porque os dias são mais longos.

Muitas pessoas saem do trabalho no final da tarde para dar um passeio no parque com sol.

E é nesta época do ano em que a radiação solar incide com maior intensidade, por isso, a exposição excessiva pode resultar em lesões na pele.

Essas lesões, podem ser as queimaduras e irritações e desencadear problemas de saúde com danos maiores como, melasmas e até mesmo câncer.

 

uva-uvb

Raios UV-A - Intensidade solar

A radiação solar de intensidade constante durante o dia, mais conhecida como UV-A, atinge a pele da mesma forma em todas as estações e também durante todo o dia.

Os raios UV-A penetram profundamente na pele e são um dos principais causadores do envelhecimento e câncer de pele.

POdem causar também o aparecimento de manchas escuras, também chamadas de melasma.

Os raios UV-A não podem ser bloqueados pelo vidro do carro, por exemplo e os danos provocados à pele só podem ser percebidos a longo prazo.

Raios UV-B - Mais intensos e responsáveis pelo bronzeamento

Mais intensos que os UV-A, os raios UV-B são parcialmente absorvidos pela camada de ozônio, atingindo a camada mais superficial da pele, sendo os responsáveis pela produção de vitamina D e por estimular a produção da melanina, gerando o efeito “bronzeamento”.

Mas também, são perigosos e responsáveis pelas queimaduras solares.

bronzeada

Não se engane!

Aquela pele dourada, sinônimo de saúde e beleza, nada mais é do que o efeito da radiação sobre a superfície da pele, provocada pela excessiva exposição ao sol.

Para proteger o DNA celular, os melanócitos da pele formam a melanina que serve como um "guarda-sol" em cima do DNA, protegendo nossas células de mutações que podem formar o câncer de pele.

Quanto mais melanina, mais cor na pele.

As peles morena e negra possuem uma quantidade maior de melanina o que, de certa forma, protege as células da pele das agressões externas dos raios ultravioleta. e lhes dá maior proteção contra o câncer de pele.

Mas apesar disso, as peles mais escuras estão mais propensas a manchas, então a proteção solar está indicada para todos os tipos de pele.

 

Então gente...

O sol faz bem mas não devemos nos expor diretamente a ele principalmente nos horários de maior índice de radiação UVB.

Nunca devemos nos expor sem proteção solar, seja química ou mecânica... mas isso vou deixar para assunto de outro post.


Você que já é nosso cliente, já conhece todos esses procedimentos e como cuidamos para que se sinta bem, cada vez mais jovem e bonita.

Para que possa fazer um pré-agendamento, deixamos um formulário abaixo e assim que recebermos, iremos entrar em contato para verificar as datas e outros detalhes.

Te vejo em breve, mais jovem, bonita e bronzeada. 😉


Cuidado com Mãos e PésTerapia CapilarTratamentos CorporaisTratamentos Faciais

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Rejuvenecimento facial: novas técnicas para te deixar mais jovem e bonita

Rejuvenecimento facial: A grande inovação é que o dr. Maurício de Maio, cirurgião plástico brasileiro, conseguiu mapear com exatidão pontos específicos do rosto que, ao serem preenchidos com um produto chamado ácido hialurônico, que resultam num efeito lifting sem cirurgia.

rejuvenecimento facial

Qual a inovação para o rejuvenecimento facial?

Qual é a grande inovação desse Códigos Médicos (MD Codes) para o rejuvenecimento facial, visto que nós, médicos, já injetamos esse ácido há mais de 20 anos?
Não é incomum que os pacientes desconheçam qual área deve ser tratada para melhorar o que lhes incomoda.

rejuvenecimento facial

Muitas vezes, para melhorar o bigode chinês precisamos tratar a região acima da bochecha, próxima aos olhos.

Com os esses códigos, conseguimos explicar porque a melhora em uma determinada área do rosto pode ser alcançada sem que o produto seja aplicado diretamente nela.

Nosso papel é fazer com que o paciente compreenda quais são as prioridades no seu tratamento.
A durabilidade do preenchimento varia de acordo com a área tratada e o produto utilizado.

rejuvenecimento facial

Quais os produtos mais adequados?

Para alcançar o rejuvenecimento facial, cada área e cada efeito desejado exige um produto diferente.

Géis mais espessos são usados para dar sustentação à pele, outros mais fluidos para definir contornos e devolver volume.

Apenas médicos são capazes de conhecer com profundidade a anatomia da pele e da face para encontrar esses pontos de injeção.

Qualquer milímetro fora do lugar pode comprometer o resultado final.

rejuvenecimento facial

E claro, existem segredos na maneira de aplicação para os quais não basta ler o livro.
A indicação do procedimento se dá pela necessidade e não pela idade.

Se o paciente apresenta rugas e linhas de expressão, ou mesmo flacidez de pele, pode começar a realizar os pontos específicos para diminuir a progressão do envelhecimento.
O código médigo ou o MD codes, revolucionou a dermatologia, pois agora é possível obter resultados cirúrgicos sem cortar.

Porém, esse tratamento serve para sustentar e volumerizar, sendo necessário cuidar também da parte mais superficial da pele.

Isso pode ser feito com cremes, peelings, laser, luz pulsada e radiofrequência, que também são fantásticos em associação com os códigos médicos, pois promovem o tratamento de manchas, vasos e linhas finas.

Converse com seu dermatologista e veja se ele é qualificado para aplicar essa técnica.


Você que já é nosso cliente, já conhece todos esses procedimentos e como usamos os códigos médicos para rejevenecer sua pele.

Para que possa fazer um pré-agendamento, deixamos um formulário abaixo e assim que recebermos, iremos entrar em contato para verificar as datas e outros detalhes.

Te vejo em breve, mais jovem e bonita. 😉


Cuidado com Mãos e PésTerapia CapilarTratamentos CorporaisTratamentos Faciais

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

Dermatite por Shitake?

Vocês sabiam que existe uma dermatite causada por cogumelos Shitake?

cópia de shitake

Chama-se Dermatite Flagelada, porque as lesões que ela gera se assemelham a chicotadas. Ela ocorre quando a pessoa ingere cogumelos Shitake crus ou mal cozidos, porcausa de uma substância presente no cogumelo que é termolábil e estimula uma resposta inflamatória, que causa lesões hemorrágicas e erupções cutâneas. As lesões costumam aparecer dois a três dias depois da ingesta do Shitake.

Captura de Tela 2016-02-14 às 10.08.20

Pode causar muita coceira, então podem ser usados medicamentos para aliviar a coceira. Mas a dermatite em si é autolimitada, ou seja, melhora sozinha com o passar dos dias. Trata-se, então, apenas os sintomas associados. Sempre procure um dermatologista para ter certeza de que seu diagnóstico é esse.

Não existem alterações laboratoriais específicas, sendo o diagnóstico clínico pela história e característica das lesões.

Fonte da fotografia Anais Brasileiros de Dermatologia, Volume 88, número 3.

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.