Cabelo para ficar na cabeça…

imagens-12

Muitas pessoas experimentam queda excessiva de cabelo em algum momento da vida. Em alguns casos a queda excessiva dos cabelos tem impacto significativo na aparência de homens e mulheres.
Normalmente perdemos de 100 a 200 fios por dia. Nossos fios não crescem todos na mesma fase, ao mesmo tempo. Por isso sempre temos alguns fios caindo.
Alopécia androgenética por exemplo, a famosa calvície, pode levar a perda total dos cabelos. E embora seja muito mais comum em homens, também pode afetar as mulheres. Apesar de ser um quadro de origem genética e hereditário, a existência de um ou mais casos na família não significa que necessariamente, se manifestará em todos os membros.
Muitas outras doenças mais raras também podem ser causa de queda, e tem tratamento quando diagnosticadas corretamente.
Além da queda excessiva, o cabelo também passa por mudanças ao longo da vida. Os fios reduzem o seu peso, diminuem sua espessura e densidade devido às mudanças hormonais e envelhecimento.
As tinturas e processos de alisamento, muito utilizados hoje em dia para mudanças de visual, danificam os fios, provocam a quebra e enfraquecimento desses fios, e consequentemente a queda.
Procure um médico quando você achar que está perdendo mais cabelo que o habitual. Pode ser que você esteja sofrendo de alguma carência vitamínica sim, coisa simples de tratar. Mas também pode ser que esse seja o primeiro sinal de uma doença de couro cabeludo, que pode levar à perda de áreas localizadas ou difusas. Ou até mesmo de uma doença sistêmica mais grave.
O dermatologista é o médico capacitado para diagnosticar e tratar as doenças do cabelo.

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.

O barbear perfeito…

Por incrível que pareça, esse ritual diário da maioria dos homens (se não todos), ainda desperta algumas dúvidas por aí. Então gostaria de falar um pouco sobre esse tema.
Os pelos dos homens são mais espessos devido a maior quantidade de hormônios masculinos que eles produzem. O aumento da produção desses hormônios ocorre na puberdade quando aparecem pelos na barba e bigode.
Os pelos podem ser redondos, lisos ou encaracolados, com diferença na espessura, e podem nascer mais do que um pelo por folículo. Quanto maior a espessura maior a chance de encravar e infeccionar, assim como quando de um folículo sair um tufo de pelos.
O ato de barbear é um dos mais importantes cuidados dos homens contemporâneos, já que proporciona uma boa aparência e sensação de bem estar. Mas é ainda um processo agressivo para a pele, principalmente se realizado de maneira inadequada ou com produtos de má qualidade.
Dicas para um barbear perfeito:
- optar por fazer a barba logo após o banho, pois a pele e os fios estão limpos e úmidos, isso causa menos irritação;
- usar um gel, creme ou espuma de barbear que não contenha irritantes na sua formulação; nunca barbear-se com sabonetes pois esses produtos ressecam a pele e promovem irritação;
- cortar os fios na direção do seu crescimento, nunca contra, e em movimentos curtos;
- usar aparelhos novos, evitar reutilizar muitas vezes para minimizar a chance de infecção bacteriana da pele;
- ao final do barbear, utilizar um produto calmante, que amenize as irritações que a lâmina provoca.
Fazendo isso e usando os ácidos e antioxidantes que seu dermatologista prescrever (que já citei no post sobre a pele dos homens), você terá uma pele bem cuidada e muito menos foliculites, pelos encravados e irritabilidade na face.
So, let's cool shaver boys 🙂

Formada pela Universidade de Cuiabá-MT – CRM/MT 5166, com especialização em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – RQE 3793 e Professora da Faculdade de Medicina de Várzea Grande – UNIVAG.